terça-feira, 15 de janeiro de 2008

João Caboto (ou John Cabot, ou Zuan Chabotto)






Este navegador de origem italiana foi contemporâneo de Vasco da Gama e de Cristóvão Colombo. O seu nome verdadeiro era Zuan Chabotto e terá nascido em Génova por volta de 1450. Em 1461 a sua família fixou-se em Veneza. Na década de 80 do século XV, João Caboto dedicou-se às viagens de comércio no Mediterrâneo Oriental - o tráfico de especiarias entre venezianos e turcos otomanos, que estes traziam através da Rota do Levante. Em 1489, porém, Caboto abriu falência e fugiu de Veneza.

Em 1492 estava em Valência onde - graças aos seus conhecimentos de arquitectura - dirigia as obras de melhoramento do porto daquela cidade. Em 1494 orientava a construção de pontes em Sevilha, mas foi despedido daquela função e rumou a Lisboa. Aqui tentou obter financiamento para uma viagem através do Atlântico, propondo chegar à China e ao Japão através de uma passagem que acreditava existir a norte do continente americano. Tal como acontecera anos antes com Cristóvão Colombo, D. João II não lhe concedeu qualquer crédito.

João Caboto dirige-se então para Inglaterra. Aqui trava amizade com Giovanni de Carbonaris, o enviado do Papa para a cobrança de impostos eclesiásticos em Inglaterra. Graças à influência de de Carbonaris na corte inglesa, Caboto obtém do rei Henrique VII a autorização necessária para a ambicionada viagem de exploração. Parte de Bristol em 20 de Maio de 1497, na companhia do seu filho Sebastião, num modesto navio equipado à sua custa, o Matthews, rumo ao norte do continente americano.

Após seis semanas no mar, descobre a actual Terra Nova. Aí iça a bandeira inglesa. Depois de explorar cerca de 650 Km de costa, regressa a Inglaterra, onde chega a 6 de Agosto. Em 1498 volta a partir para a Terra Nova com uma expedição de cinco navios. No entanto, uma violenta tempestade separa a frota. É provável que uns se tenham dirigido para norte da Terra Nova e outros rumado ao mar das Caraíbas. Certo é que só um navio regressa, o de Sebastião Caboto. O seu pai é dado como desaparecido - provavelmente morto. Durante séculos foi assim que a história de João Caboto terminou.

Contudo, investigações mais recentes permitem concluir que o navegador ainda regressou a Inglaterra em 1500, morrendo cerca de três meses depois da sua chegada. Quanto a Sebastião Caboto, continuou o projecto do pai, fazendo várias viagens ao norte do continente americano, entre 1502 e 1509, sempre na esperança de descobrir a "tal" passagem pelo noroeste - e sempre financiado pela Inglaterra. Não a encontrou, mas pôde confirmar que a América era mesmo um continente - e não uma ilha, como inicialmente pensara Cristóvão Colombo.

Bibliografia:
DERAIME, Sylvie, e outros - As Grandes Explorações, Lisboa, Fleurus, 2005.
KEYS, David, "John Cabot", in BBC History Magazine, vol. 9, n. 1, January 2008, p. 10.
Imagens: "John Cabot", pormenor de uma pintura de 1906; e mapa actual da Terra Nova.

6 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns professor, pelo trabalho que tem feito na área do e-Learning (Blog, Emails e Moodle). Sou da opinião que o caminho vai se fazendo através destes novos meios. Não vale a pena, fingir que eles não existem.

Sinceramente, acho que as suas iniciativas são "um tiro no centro do alvo".

Anónimo disse...

Existe um termo que define um tipo de navegação de porto em porto denominado de "cabotinagem". Este termo deriva de João CABOTO ??

Jorge P. Freitas disse...

Anónimo 1:
Obrigado pelo simpático comentário. É um incentivo para a continuação do trabalho!

Anónimo 2 (ou Anónimo 1, de novo?)
Ainda não consegui esclarecer a sua dúvida, que também partilho, sobre a etimologia da palavra "cabotinagem". No entanto, é provável que a palavra não esteja relacionada com Caboto, mas com a navegação costeira, "à vista de terra", "de cabo a cabo". O "cabotino" não arrisca, segue o caminho seguro, já percorrido por outros. Ora isto não parece aplicar-se a João Caboto, que foi um explorador. Continuarei a procurar a etimologia de "cabotinagem" e farei uma adenda a esta entrada, quando a encontrar.

Miguel disse...

Cabotagem, senhores, cabotagem! Não confundir com cabotinismo (q.v.)*, termo muito aplicável à maioria dos habitantes da nossa mui estimada classe política.

Sobre o Cabotto e o Colombo (não o mega-espaço comercial) há que ressalvar que ao menos o primeiro não alardeou ter descoberto o Cipango tendo chegado às antilhas, mas um errozito qualquer um comete.

* Cabotino - "Pessoa que procura chamar sobre si a atenção alheia; pessoa que gaba vaidosamente, exagerando-as, suas próprias qualidades; exibicionista."

Jorge P. Freitas disse...

Mas ainda não resolvi a dúvida: a etimologia de "cabotino" deverá alguma coisa a João Caboto?...

Miguel disse...

A Wikipédia francesa reclama a suspeita honra...

http://fr.wikipedia.org/wiki/Cabotin